Olhar curioso – a primeira avaliação imobiliária

Quando ministro cursos, treinamentos, atendimentos, ou aplico provas e correções, eu tenho o privilégio de poder conhecer novos profissionais do mercado imobiliário. Assim, mantenho contatos para novas parcerias e trocas de experiências. E também aumento meu círculo de amizades.

Eu sempre procuro dar suporte aos meus alunos e colegas de profissão, assim como peço orientação para alguns trabalhos. E diante desse contexto, certo dia, um aluno me ligou para orientação a respeito de uma avaliação extrajudicial.

Cássio estava nervoso, eufórico e muito feliz, pois era seu primeiro orçamento e a ansiedade em sua voz era nítida. Conversamos, pedi para analisar a matrícula do imóvel, precisávamos entender do que se tratava para poder avaliar. Expliquei como deveríamos proceder. Depois de verificar os documentos, fizemos o orçamento e, para nossa alegria, foi aceito.

Agendamos a vistoria para um horário bem cedo e, no dia marcado, Cássio foi até meu escritório para irmos juntos ao imóvel. Ele estava na maior expectativa. Chegou quase uma hora antes do combinado, estava falante, ansioso.

Fomos até o imóvel e começamos a fotografar a parte externa. Eu fazia as fotos e Cássio anotava cada detalhe. Ele prestava atenção em tudo e eu ia explicando como deve ser feita a vistoria: fotos bem feitas, ângulos diferentes, referências. Também mostrei como o Perito precisa ter atenção aos detalhes para anotar o máximo de informações possíveis.

Naquele momento, parei e ‘voltei no tempo’. Eu olhava para Cássio e percebia toda sua dedicação e vontade de aprender. Por um segundo, fechei os olhos e me lembrei da minha primeira vistoria, do meu primeiro trabalho. Era grande a expectativa e a vontade de aprender, de começar numa área totalmente desconhecida. Me lembro que eu nem piscava, só ficava atenta a cada detalhe.

A essência do trabalho do Perito Avaliador é incrível! Muitos fazem avaliação, mas poucos vivem a avaliação.

E quando eu observo um aluno feliz, compenetrado e que está ali comprometido com o seu trabalho e com o seu cliente, isso me traz uma satisfação de valor imensurável. Me sinto realizada. É o que nós professores chamamos de amor ao que se faz!

De repente, voltei à realidade com a voz de Cássio me chamando:

— Professora, professora!

Só aí percebi que realmente eu tinha viajado no tempo.

O cliente estava nos aguardando. Entramos no imóvel, continuei orientando Cássio, eu ia fotografando a parte interna e ele anotando e sempre fazendo muitas perguntas. Conversamos com o cliente e ao final do trabalho nos despedimos.

Vistoria feita, retornamos. Mas Cássio continuava curioso. Queria saber qual seriam os próximos passos para dar continuidade ao trabalho. Definimos a divisão das tarefas e em alguns dias o laudo ficou pronto.

Missão cumprida! Mais uma avaliação imobiliária feita e essa teve sabor de realização. Afinal, um professor só se sente realizado quando inspira o seu aluno. Ensinar e passar conteúdo é algo fácil, mas inspirar e encantar, isso sim é a função do professor. E quando olhamos para o aluno e percebemos aquele olhar curioso, brilhando, aí sim, a vida faz sentido.

Silmara Gottardi

2 comentários em “Olhar curioso – a primeira avaliação imobiliária

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s